Publicidade - OTZAds

Sergio Moro afirmou esta semana que vai apresentar provas que mostram a tentativa do presidente Jair Bolsonaro  de interferir na Polícia Federal no inquérito aberto pelo Supremo Tribunal Federal para investigar o caso.

Em uma declaração exclusiva a revista Veja (que exaltou ele no passado) o ex-ministro disse ainda que o pedido de abertura das investigações feito pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, foi “intimidatório”.

Aras  pediu pra investigar as acusações feitas pelo ex-ministro, fazendo uma apuração de suposta denunciação caluniosa contra Bolsonaro praticada pelo ex-juiz que condenou Lula.

O ex-juiz disse que a requisição de abertura desse inquérito que o aponta como possível responsável por calúnia e denunciação caluniosa foi intimidatória. Dito isso, ele afirma que está à disposição das autoridades.

Sergio Moro diz que tem provas concretas contra Bolsonaro

Quais são as provas? Perguntou a revista,  no entanto, Moro limitou-se a dizer que irá se pronunciar quando for questionado pela Justiça

O que o ex-ministro Sergio Moro tem é grave?

Ele declarou a imprensa: “Eu apresentei aquelas mensagens. Não gostei de apresentá-las, é verdade, mas as apresentei única e exclusivamente porque no pronunciamento do presidente ele afirmou falsamente que eu estava mentindo. Embora eu tenha um grande respeito pelo presidente, não posso admitir que ele me chame de mentiroso publicamente”.

Moro  também fez questão de dizer  que outros ministros do governo saberiam da tentativa de Bolsonaro interferir na Polícia Federal, é real, não é implicância, afirma o ex-juiz.

​Ele elucidou que Bolsonaro sabe quem está falando a verdade. Não só ele. Existem ministros dentro do governo que conhecem toda essa situação e sabem quem está falando a verdade.

O ex-ministro apoiador do Governo Bolsonaro disse não ter medo dos ataques proferidos por grupos bolsonaristas na internet, mas se incomoda com as menções à esposa, a advogada Rosângela Moro.

“Atacaram minha esposa e estão confeccionando e divulgando dossiês contra ela com informações absolutamente falsas. Ela nunca fez nada de errado. Nem eu nem ela fizemos nada de errado. Esses mesmos métodos de intimidação foram usados lá trás, durante a Lava-­Jato, quando o investigado e processado era o ex-presidente Lula”, disse ao Jornal O Globo.

Fonte: G1 Notícias.