Bolsonaro, atual chefe de estado que ainda está sem partido, nesta manhã de terça-feira, respondeu aos jornalistas de maneira muito insensiva. Confira a seguir todas as informações sobre este episódio.

Conforme publicado na imprensa nesta manhã: mandou repórteres calarem a boca na manhã deste terça-feira (5) quando foi questionado sobre as recentes mudanças na Polícia Federal. Bolsonaro ainda atacou a Folha, chamando o jornal de “canalha”, “patife” e “mentiroso”.

Em declaração pela manhã em frente ao Palácio da Alvorada, Bolsonaro mostrou uma imagem que reproduzia a manchete da edição impressa da Folha desta terça-feira e, referindo-se à manchete “Novo diretor da PF assume e acata pedido de Bolsonaro”, disse que não interferiu na corporação.

Bolsonaro nega interferência na PF e manda repórteres calarem a boca

Bolsonaro segue tratando a imprensa de maneira rude. 

De maneira muito enfática o presidente da república, Jair Messias Bolsonaro, falou junto com seus apoiadores:

“Que imprensa canalha a Folha de S.Paulo. Canalha é elogio para a Folha de S.Paulo. O atual superintendente do Rio de Janeiro, que o [ex-ministro Sergio] Moro disse que eu quero trocar por questões familiares.”

Ele prosseguiu: “Não tem nenhum parente meu investigado pela Polícia Federal, nem eu nem meus filhos, zero. Uma mentira que a imprensa replica o tempo todo, dizer que meus filhos querem trocar o superintendente [da PF no Rio]”, completou o presidente.

Conforme percebemos, durante sua fala, Bolsonaro foi questionado por jornalistas se havia pedido a mudança na superintendência da PF no Rio. Foi aí que ele disse para os profissionais calarem a boca.

Confira na íntegra a fala do presidente:

“Cala a boca, não perguntei nada”, respondeu a um primeiro questionamento, feito por uma repórter de O Estado de S. Paulo. “Folha de S.Paulo, um jornal patife e mentiroso”. Questionado em seguida pela Folha, o presidente gritou novamente: “cala a boca, cala a boca”.

E aí, o que vocês acharam?

Essa realmente deve ser a forma como o presidente deve tratar os profissionais do jornalismo no Brasil? Deixe seu comentário!