Os pagamentos via Pix fecharam 2022 atingindo a marca de incríveis 24 bilhões de transações realizadas, uma média de 66 milhões de transações diárias.

Com isso, o Pix se tornou o meio de pagamento mais popular no Brasil.

Continua apos a publicidades

O PIX é um sistema brasileiro de pagamentos instantâneos criado pelo Banco Central do Brasil em novembro de 2020.

Com ele, as pessoas conseguem fazer transferências eletrônicas de dinheiro em tempo real, 24 horas por dia, 7 dias por semana, incluindo finais de semana e feriados.

O PIX é uma opção diferente dos métodos de pagamento tradicionais, como DOC, TED e boletos, e oferece algumas vantagens.

Por exemplo, você consegue concluir as transações em segundos, sem precisar informar dados como agência e número de conta bancária.

Em vez disso, as transações são realizadas a partir da leitura de um QR Code ou da inserção de um código numérico.

Além disso, o PIX é gratuito para pessoas físicas, o que significa que não há custos adicionais para realizar as transações.

Continua apos a publicidades

Por outro lado, pode ocorrer cobrança das transações realizadas para as empresas.

O PIX é uma forma segura de realizar transações financeiras, pois utiliza tecnologia de criptografia para proteger os dados dos usuários.

O Banco Central regulamentou o Pix, o que garante a sua segurança e eficiência.

Como funciona o Pix?

O PIX é um sistema de pagamentos instantâneos que funciona através da transferência eletrônica de dinheiro entre contas bancárias.


Leia também:

Como evitar a inadimplência?


Você pode fazer pagamentos via Pix tanto em transações físicas e jurídicas que tenham uma conta em banco, que esteja cadastrada no PIX.

Continua apos a publicidades

Para utilizar o PIX, é preciso ter uma chave PIX, que pode ser um CPF, CNPJ, número de celular, e-mail ou chave aleatória.

A chave PIX serve para identificar a conta do usuário, ou seja, é por meio dela que você realiza as transações.

Para fazer um pagamento ou transferência via PIX, você só precisa informar a chave PIX da pessoa ou empresa que vai receber o dinheiro.

É possível fazer isso através da leitura de um QR Code ou inserindo manualmente a chave PIX.

Quanto às taxas do PIX, para pessoas físicas, a maioria dos bancos não cobra tarifa pelo uso do sistema. Já para empresas, o custo pode variar, dependendo do banco e da quantidade de transações realizadas.

Porém, o Banco Central do Brasil estabeleceu um teto máximo para as tarifas do PIX, que é de 0,8% do valor da transação para pessoas jurídicas.

É importante lembrar que, embora as transações do PIX são gratuitas para pessoas físicas na maioria dos bancos, ainda pode haver cobrança de tarifas em outras operações financeiras.

Por exemplo, saques em caixas eletrônicos ou emissão de boletos.

Obrigada por seguir nossa página! Até a próxima!