Devido às dúvidas e reclamações geradas pela falta de gás de cozinha em estabelecimentos de Curitiba e região, o Procon-PR. Embora oficiou a Associação Brasileira de Entidades de Classe das Revendas de Gás GLP (Abragás) para que oriente as revendas, evitando o desabastecimento do produto.

Continua apos a publicidades

O documento sugere a limitação quantitativa de botijões vendidos por consumidor. Assim sendo dentro do bom senso e de acordo com o estoque de cada estabelecimento, de modo a garantir o abastecimento do mercado e atender as necessidades de todos os consumidores.

Procon-PR Oficia Abragás Devido A Reclamações De Falta Do Produto 31 de março de 2020

Continua apos a publicidades

Estamos acompanhando todo o processo nos estabelecimentos que vendem gás de cozinha para que não gerem problemas ao consumidor por falta do produto e aumento no preço”, explica o secretário da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost. “Pedimos aos consumidores que não estoquem gás desnecessariamente”, reforça o secretário.

Comunicados procon

– A Abragás e o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) também emitiram um comunicado esclarecendo o transtorno na entrega dos produtos.

O texto explica que o atraso na reposição é resultado do aumento da procura devido à pandemia do Covid-19. Embora e que não houve redução no fluxo de entrega do produto considerando uma demanda normal.

Continua apos a publicidades

“O que ocorreu foi uma leve antecipação de compras por consumidores preocupados com a pandemia e o isolamento social. Repudiamos veementemente este comportamento, pois não existe motivo para subida acentuada do preço”, diz a nota.

Preços

Além disso, o Procon, em conjunto com a Delegacia do Consumidor (Delcon), está apurando denúncias de aumentos abusivos praticados na revenda dos botijões. “A constatação dos abusos resultará em multas que variam de R$ 600 a R$ 8 mil. Assim sendo além da aplicação das sanções penais cabíveis”, diz a chefe do Procon-PR, Claudia Silvano.

Assim o Procon desenvolve o trabalho para eliminar as pessoas que abusam em vender preços altos em momento crítico.