Segundo ANP, nessa última semana, os preços dos combustíveis nos postos caíram. Gasolina teve recuo de 0,64% e diesel 0,88%

Segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), mesmo diante de expressivo recuo do petróleo no mercado internacional e o forte corte pela Petrobras dos valores de suas refinarias, nessa última semana, o preço dos combustíveis nos postos caiu.

Mesmo com o recuo para os consumidores, a queda não acompanha o tamanho do corte de preço dos combustíveis realizado pela Petrobras nas refinarias.

Continua apos a publicidades

Nessa semana, preços dos combustíveis nos postos caíram 22-03-2020

Impactos da pandemia de coronavírus sobre a demanda global por combustíveis levaram os preços do petróleo nos EUA a fecharem esta sexta-feira com a maior retração semanal desde 1991. O WTI teve 29% de recuo entre segunda e sexta-feira, e o petróleo Brent teve perdas de 20% nesse mesmo período.

Continua apos a publicidades

A Petrobras por conta do declínio das cotações internacionais, reduziu os preços da gasolina em suas refinarias em 12% e os do diesel em 7,5% a partir da quinta-feira. A empresa já havia na semana anterior, baixado a gasolina em 9,5% e o diesel em 6,5%.

Segundo o levantamento da ANP, o valor médio do litro da gasolina para o consumidor teve um recuo de 0,64%, a R$ 4,486, na semana. E o preço do litro do diesel caiu 0,88% ficando em para R$ 3,586. O litro do etanol recuou 0,83%, para R$ 3,226.

Todos esses valores são uma média que a ANP calcula com dados coletados em diversos postos por cidades pelo país. Os preços variam de acordo com cada região.

Continua apos a publicidades

Preço nas refinarias

Na quinta-feira (19), a Petrobras confirmou um corte de 12% no preço da gasolina e de 7,5% no do diesel em suas refinarias. Por consequência, nesse ano o recuo da gasolina soma 30,1%. E preço do óleo diesel acumulou queda de 29,1%.

O corte nos preços dos combustíveis está acontecendo em um momento em que as cotações do petróleo estão tendo forte queda por consequência da expansão da pandemia de coronavírus no mundo e a desaceleração da economia global.

Nesta semana, o valor de referência nos EUA, do petróleo WTI, registrou perda de 29%, a mais acentuada desde o início da Guerra do Golfo em 1991. O petróleo Brent, enquanto isso, cedeu 20%. Ambos os contratos de referência acumulam quatro semanas seguidas de quedas.

Para mais informações, acesse aqui.